Projetos do RN são destaque nacional no Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Empresas

18/06/2020   18h46

 

Dois projetos de segmentos industriais do Rio Grande do Norte foram incluídos como casos de sucesso na apresentação do Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (PROCOMPI). Um deles é na área da tecnologia da informação que aproxima empresas de reciclagem dos geradores de resíduos do estado, o outro é o APL de Água Mineral do RN, que promoveu alinhamento das indústrias com seus distribuidores.

 

Para o superintendente do IEL-RN, Juan Saavedra, ter dois projetos do PROCOMPI que contribuíram positivamente para os arranjos produtivos locais considerados como caso de sucesso, nacionalmente, traduz o empenho do Instituto Euvaldo Lodi do RN, na gestão dos projetos e a busca pelo desenvolvimento dos APLs.

 

“O projeto de água mineral, foi de suma importância para o arranjo produtivo local do setor. Proporcionou uma visão de como se comportava o setor de água mineral no estado. Os empresários saíram com uma maior clareza sobre o ambiente competitivo e constituíram ações que englobam toda a cadeia. E o projeto de reciclagem, contribuiu para unir os dois principais stakeholders: os geradores de resíduos e os empresários de reciclagem. Proporcionou às empresas a possibilidade de reduzir sua capacidade ociosa, a partir de informações recebidas pelos geradores de resíduos”, diz Juan.

 

O diretor-primeiro-tesoureiro da FIERN e presidente do Sindirecicla, Roberto Serquiz diz que o Procompi começou com ele e a superintendente do IEL na época, Célia Ribeiro, em sua primeira gestão do Sicramirn. “É uma fonte de financiamento interessante, mas, sobretudo ele estimula o investimento em objetivos comuns com a contrapartida de 30 por cento, que estimula a competitividade e o associativismo”, afirma.

 

Ele diz que o destaque do projeto do Sindirecicla traz o indicativo de que estão no caminho correto. “O projeto vitorioso é um aplicativo que trouxe a solução para a dificuldade da indústria da reciclagem na captação dos resíduos espalhados nas ruas. Esse aplicativo é uma solução tecnológica de alto alcance, de forma que ele liga as duas pontas da cadeia produtiva. Esse é o grande resultado, é o grande sucesso do projeto, ligar direto estes públicos sem passar por intermediários”, explica Roberto.

 

De acordo com o diretor de inovação da FIERN e atual presidente do Sicramirn, Djalma Júnior, o destaque do segmento da água mineral é um reconhecimento importante para o setor e reflete o trabalho de todos que contribuem para o sucesso do projeto. “O desenvolvimento das empresas de bebidas e águas minerais do Rio Grande do Norte é importante para a economia do estado e este projeto é de suma importância para que esse objetivo seja alcançado. Mais uma vez, o PROCOMPI contribui para a indústria brasileira e de água mineral no RN”, reitera Djalma.

 

PROJETO DA ÁGUA MINERAL

 

De acordo com o projeto do segmento de bebidas e águas minerais o consumo per capita de água envasada no Rio Grande do Norte é três vezes maior que a média no Brasil, que tem um dos maiores mercados de água envasada do mundo. Não por acaso, a capital potiguar sediou o último Congresso Brasileiro de Águas Minerais Naturais, promovido pela Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (ABINAM).

 

Para se ter uma noção da importância desse mercado, apenas em 2016, foram vendidos 440 milhões de litros de água mineral no Rio Grande do Norte.  No ano seguinte, teve início a 5ª edição do PROCOMPI da Água Mineral, no qual o setor é tido como referência nacional.

 

Em seu contexto o projeto explica que mesmo que o volume do mercado local fosse relevante no âmbito nacional, havia uma grande confusão na dinâmica de competição das indústrias na precificação, na concorrência da água adicionada de sais e no entendimento dos consumidores sobre os diferenciais de qualidade e segurança da água mineral.

 

Foi nesse contexto que o Instituto Euvaldo Lodi – IEL Rio Grande do Norte e o SEBRAE-RN iniciaram o PROCOMPI, em parceria com o Sindicato da Indústria de Cervejas, Refrigerantes, Águas Minerais e Bebidas em Geral do Estado do Rio Grande do Norte (Sicramirn).

 

O projeto, inicialmente, reuniu 13 empresas, mas ao longo do processo outras 4 se engajaram. Como os empresários do Rio Grande do Norte são veteranos em PROCOMPI, a ideia foi usar as reuniões regulares do sindicato para fazer o planejamento e dar retornos sobre o andamento do projeto, sempre com foco em ações articuladas, em especial para buscar alinhamento das indústrias com seus distribuidores.

 

PROJETO RECICLAGEM

 

O projeto permite que no Rio Grande do Norte, tecnologia da informação (TI) aproxime empresas de reciclagem dos geradores de resíduos. De um lado, estão as empresas de reciclagem e gestão de resíduos com capacidade ociosa; do outro, corporações que geram muitos resíduos e não conseguem cumprir o que está determinado pela legislação. E a tecnologia promove a aproximação entre as duas pontas.

 

Desde 2010, a gestão dos resíduos sólidos e descartáveis no Brasil deve seguir a Lei Nacional de Resíduos Sólidos. Considerada um marco na área ambiental brasileira, a legislação institui a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos: fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, cidadãos e empresas de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos. Na prática, num campo ainda novo, a gestão dos resíduos esbarra numa dificuldade:

 

Como aproximar quem gera os resíduos de quem tem a capacidade de reciclá-los? Em Natal, Rio Grande do Norte, a realidade era exatamente essa. A resposta a esse desafio veio com o aplicativo ‘Recicle Já’, desenvolvido com o objetivo de aproximar quem tem material para reciclar das empresas que podem e sabem fazê-lo. O aplicativo é um dos resultados do PROCOMPI.

 

Numa parceria do Instituto Euvaldo Lodi – IEL Rio Grande do Norte com o SEBRAE no Rio Grande do Norte, 16 empresas do setor reuniram-se para desenvolverem soluções para o desenvolvimento do setor de reciclagem e descartáveis, na região metropolitana da capital potiguar.

 

Iniciado em janeiro de 2017, o projeto teve o apoio do Sindicato das Indústrias de Reciclagem e Descartáveis do Rio Grande do Norte (Sindirecicla) que ajudou a desenhar e divulgar o aplicativo.

 

O ‘Recicle Já’ pode ser acessado por entidades do comércio e da indústria, condomínios, escolas ou mesmo pessoas, em suas casas, sempre que estas possuírem materiais a serem coletados.

 

O superintendente do IEL-RN acrescenta que o projeto do aplicativo contribui de forma positiva nos aspectos ambiental, orientando para a melhor destinação dos resíduos gerados; econômico na geração de renda e trabalho; social no fortalecimento da econômica local; e no estímulo ao cooperativismo”, conclui.

 

PROCOMPI

 

O Procompi é um Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias, resultante de uma parceria entre a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) nacional, e está operando desde 1998.

 

O Programa objetiva elevar a competitividade das empresas industriais de menor porte, por meio do estímulo à cooperação entre as empresas, à organização do setor e ao desenvolvimento empresarial e territorial.

 

O IEL/RN é a instituição do Sistema FIERN que possui know-how na gestão de projetos envolvendo cadeias produtivas, principalmente, na promoção e o desenvolvimento de aglomerados locais, chamados Arranjos Produtivos Locais (APLs).

 

Os projetos são executados pela instituição desde 2004 e neles envolvem a realização de consultorias técnicas, capacitação empresarial, qualificação dos recursos humanos, ações de acesso ao crédito e ao mercado, articulação com o território, dentre outros.

 

São feitas parcerias com atores locais e nacionais, de forma a ter uma maior gama de serviços e interações necessárias ao sucesso dos projetos, bem como ampliar o acesso das empresas a esse tipo de produto.

 

CONTATO

 

Para conhecer mais sobre o Programa e seus projetos acesse www.procompi.cni.org.br de Brasília, ou no RN, pelo telefone (84) 3204-6302.

 

Por Jô Lopes – repórter da FIERN